13 de dezembro de 2013

Dizendo adeus?!

Como lidar com o fim? 
Como saber dizer adeus quando necessário?


Já notou que estamos frequentemente praticando a arte da despedida? Lugares, pessoas, momentos, sentimentos... pense, muita coisa já saiu das nossas vidas. Mas, mesmo sendo uma pratica constante, o adeus muitas vezes machuca, dói e marca, mesmo quando sabemos que tem que acontecer, que vai acontecer, quando vai acontecer e porque vai acontecer. Triste né? Mas como o que eu menos quero é fazer um texto triste, que você pare de ler ou que se corte (por favor, stay strong em) vamos mudar o foco.
Dolorida ou não, a despedida acaba sendo uma porta pra libertação, renovação, coisas novas, mudança entende? Pense em todas coisas que você fez depois que disse adeus pra algo ou alguém. Imagine sua vida sem as loucuras do ensino médio ou da faculdade se você tivesse que ficar pressa pra sempre no ensino fundamental. Imagine não ter conhecido o cara dos seus sonhos se você ainda estivesse enrolada com aquele cara que não queria nada com nada. Pra quem mudou de cidade, pense em não ter conhecido e vivido coisas novas se não tivesse deixado sua cidade para trás ou pense nas amigas que conheceu quando mudou de escola, já pensou em nunca ter as conhecido? Chaaaaaato!
O objetivo do meu texto é fazer com que você (e eu) a partir de agora passemos a considerar as despedidas não como algo ruim, uma maldição dos céus, inferno astral ou essas coisas sinistras e sim como uma página em branco, um outro nível, uma fase mais difícil da vida, um desafio que devemos encarar e vencer. Não como um fim, mas sim como um começo ou recomeço.




Até a próxima!